• Planejamento de marketing de curto prazo: é possível fazer?

    A noção de tempo pode ser diferente para as pessoas. Para você, por exemplo, o que é curto prazo? Aqui, você entenderá a importância do planejamento de curto prazo para a empresa. Entre outras questões, uma programação de estratégias mais curtas é vital para contribuir com um negócio sólido, competitivo e diferenciado.

    Em algumas situações, elas são totalmente indispensáveis, como na contenção de uma crise, na promoção de um evento ou no lançamento de um novo produto. A organização, portanto, precisa estar bem preparada para algumas situações que estão por vir. Algumas são previsíveis, mas outras nem tanto.

    Neste artigo, apresentamos alguns fatores que necessariamente devem integrar um planejamento de curto prazo. Confira!

    Compra de mídia

    Se você quer aparecer e expor a sua marca junto aos seus potenciais consumidores, é preciso investir em anúncios. Principalmente nas ações de curto prazo, o investimento é imprescindível. Enquanto você constrói resultados orgânicos a longo prazo, patrocinar conteúdo acelera seu projeto e torna sua marca visível imediatamente, mesmo que você vá reduzindo o investimento em compra de mídia conforme os resultados orgânicos vão surgindo.

    Entre as mídias pagas, podemos destacar o Google Adwords, a plataforma de anúncios do buscador, e o Facebook Ads, a plataforma de anúncios da rede de Mark Zuckerberg.

    Antecipar o processo comercial

    Sem dúvidas, o ideal num processo marketing-comercial é conhecer bem as pessoas para as quais pretende vender e seus desejos, obtendo o máximo de informações do lead, podendo assim decidir o que e quando oferecer, transmitindo credibilidade e autoridade. Contudo, se de alguma forma sua equipe está pressionada por resultados, não é pecado algum os vendedores abordarem alguns leads antes do gatilho ideal.

    Se o lead parecer interessante, mesmo que ele não faça uma “levantada de mão” (processo em que o contato demonstra interesse em ser abordado pelo time de vendas) como solicitar orçamento, iniciar um teste ou algo do tipo, os vendedores podem selecionar alguns leads que mais se aproximem do perfil de cliente ideal (PCI) e experimentarem ligações e email “frios” com cautela. Uma vez que se normalize a situação, as equipe podem voltar a conduzir o funil de vendas com os gatilhos no tempo certo normalmente.

    Outbound marketing

    Muita gente pensa que o outbound marketing está ultrapassado. Também conhecido como marketing tradicional, tem com premissa buscar os consumidores de forma ativa. Ele pode ser praticado off-line, como telemarketing, emails “frios” (cold emails) ou as clássicas visitas.

    Além disso, existem ferramentas on-line que otimizam as ações de outbound, como “pescar” o e-mail do seu potencial consumidor no LinkedIn e, depois, enviar uma série de mensagens estrategicamente elaboradas, em massa, mas com um toque de personalização, a fim de levar os destinatários a responder alguma delas e estabelecer a conexão necessária para iniciar uma venda. Se você interessou, saiba mais sobre a Ramper.

    Eventos

    Uma ótima ideia é produzir pequenos eventos próprios, ou participar de outros em que sua marca seja protagonista, de forma a gerar mais credibilidade e confiança junto aos atuais e futuros clientes.

    Além disso, pequenas palestras também são ótimas para se aproximar do público rapidamente e, assim, gerar leads por meio das inscrições e do download dos slides.

    O que você achou dessas ideias sobre o planejamento de curto prazo? Como mostramos, as ações imediatas podem ter efeitos muito positivos para o crescimento do negócio. O trabalho de curto prazo deve ser feito com a consciência de conquistar as coisas rapidamente, e saiba que a soma delas constrói grandes feitos.

    Esse tipo de estratégia pode ser inserida em várias áreas da empresa, incluindo o marketing. Agora que você já tem algumas ideias sobre o trabalho de curto prazo, também é imprescindível saber detalhes sobre como elaborar estratégias de marketing para longo prazo.

    Leia mais+

  • O que é persona? Veja as diferenças entre buyer, brand persona e público-alvo

    Público-alvo você sempre soube o que é, mas recentemente tem ouvido muito falar sobre buyer personas. Você sabe o que é? É uma forma diferente de representar o público-alvo, como vamos explicar adiante, e para não haver confusão, explicaremos também as diferenças com a brand persona.

    O consumidor mudou, está mais bem informado e exigente. Isso obrigou as empresas a reinventar suas estratégias de negócios. Se antes ele era passivo, hoje é o contrário. As organizações, portanto, precisam se adaptar às necessidades e os desejos dos seus compradores.

    Nesse contexto, o conceito de público-alvo sempre esteve presente nos planejamentos de marketing. Nos últimos anos, no entanto, a figura da persona ou buyer persona ganha cada vez mais espaço, e ela não veio sozinha. Termos como brand persona também passaram a integrar o mundo online.

    Mas fique bem calmo, não há a necessidade de você ter arrepios. São conceitos muito simples e fáceis de serem explicados e aplicados na sua estratégia de marketing digital. Neste artigo, vamos falar do público-alvo e mostrar o que é persona ou buyer persona e brand persona. Confira!

    Público-alvo

    O público-alvo envolve um número bastante diversificado de pessoas, que podem ser atingidas pelo produto ou serviço oferecido pela empresa. Ele é focado em questões demográficas, socioeconômicas e comportamentais.

    Exemplo: pais entre 25 e 30 anos, com formação superior, da classe B, desempregados e que precisam de um trabalho para sustentar a família.

    Persona ou buyer persona

    No marketing, a persona ou buyer persona é uma representação semi-fictícia do cliente ideal. Ela é criada para ajudar a empresa a compreender profundamente quem é o seu consumidor e o que ele precisa.

    Quando bem definida, é possível elaborar estratégias bem alinhadas com os clientes. Afinal, as ações serão direcionadas para aquelas pessoas perfeitas para adquirir seu produto ou serviço.

    Exemplo: Pedro, de 29 anos, é graduado em sistemas de informação e é desenvolvedor em uma startup. É solteiro, mora em um flat e adora tomar cerveja no fim de semana. Ama o trabalho, mas queria ganhar mais. Seu objetivo nos próximos 12 meses é comprar um novo notebook, pois sua máquina é antiga e vem apresentando defeitos.

    Brand persona

    A brand persona é um personagem criado para representar uma marca. Por meio dela, é possível dar voz e personalidade à empresa, tornando a interação com o público mais natural e humana.

    Basicamente, é uma maneira de estabelecer a linguagem que será utilizada nos meios digitais, assegurando que as interações terão um único padrão, independentemente do profissional que está por trás das estratégias.

    Exemplo: a personagem Lu, do Magazine Luiza, inspirada na fundadora da empresa, Luiza Trajano, que interage, tira dúvidas e dá sugestões para os usuários nas redes sociais de forma educada, doce e paciente.

    Mais relacionamento e maior eficiência de vendas

    Agora que você sabe o que é persona ou buyer persona, brand persona e público-alvo, é importante relacionar cada um desses itens e compreender que o levantamento de informações relacionadas a esses conceitos é essencial para melhorar o relacionamento com os clientes e aumentar a eficiência das vendas.

    Há diversas formas de entender o consumidor, que podem ser muito mais abrangentes do que uma visão meramente demográfica, socioeconômica ou comportamental. O ideal é conhecer seu público para entregar soluções cada vez mais personalizadas e que efetivamente satisfaçam os consumidores.

    Para você ficar ainda mais por dentro desse universo, recomendamos que baixe gratuitamente o nosso e-book sobre o novo marketing e as mudanças que ele vem promovendo nas empresas.

    Leia mais+

  • O que o futuro reserva para o marketing nas redes sociais?

    Entender as redes sociais e suas potencialidades tornou-se um grande desafio para o sucesso da estratégia de marketing digital das empresas. É um meio com grandes oportunidades, sem dúvidas, e ao mesmo tempo com muito dinamismo, mudanças e perigos. No Brasil, 78% das pessoas que usam internet estão presentes nas mídias sociais.

    Para entender esse tema, algumas empresas especializadas têm feito estudos que podem trazer insights poderosos. No ano passado, por exemplo, foi desenvolvida a Social Media Trends, pesquisa que busca levantar as principais práticas e tendências adotadas pelos negócios nas redes sociais

    Segundo o estudo, 62% das pessoas avaliam que as redes sociais são muito importantes para as marcas. O Facebook continua sendo a plataforma mais utilizada, seguida por Instagram, LinkedIn, Twitter e YouTube. Negócios que adotam o marketing de conteúdo crescem, e imagens e gifs continuam com alto poder de engajamento.

    Neste texto, falaremos de algumas tendências do marketing nas redes sociais. Acompanhe!

    Mais engajamento entre marcas e consumidores

    Marcas e consumidores nunca estiveram tão conectados, e a tendência é que essa interação aumente ainda mais. Segundo o Sprout Social Index, 1 em cada 3 clientes faz menção a uma empresa enquanto compartilha alguma questão pessoal nas redes sociais.

    Isso significa que as marcas precisam criar conexões duradouras com seus clientes, em vez de tratar as redes sociais apenas como um canal para divulgar produtos ou serviços. É essencial deixar claro para o consumidor que você também está ali para fazer contato com ele.

    A título de curiosidade, de acordo com o Instagram, ao menos 80% dos seus usuários seguem uma marca na plataforma.

    Ferramentas de social listening

    Traduzido do inglês, o termo social listening significa algo como “ouvinte social”. Seria ouvir aquilo que é dito nas redes sociais. Trata-se de uma espécie de “garimpo” de ideias e conteúdos. Ou seja, é ir atrás de todos os dados a respeito de um produto, serviço ou marca. A ideia é categorizar as menções e analisar cada uma delas.

    Para aplicar o Social Listening, é essencial que a empresa tenha um time preparado para ler e interpretar as informações, de forma que elas se transformem em ações estratégicas para o crescimento do negócio.

    Chatbots

    Nos dias atuais, uma marca pode receber centenas ou milhares de perguntas parecidas e elas precisam de uma resposta, certo? Nesse caso, uma saída ideal são os chatbots.

    Plataformas como o Messenger, do Facebook, já utilizam chatbots, que reúnem informações sobre um produto ou serviço e até tomam decisões de maneira autônoma por meio de aprendizado de máquina. A tendência é que os chatbots fiquem cada vez mais inteligentes e assegurem um grande aumento da produtividade organizacional.

    Novas redes e abordagens

    O marketing digital definitivamente está cada vez mais complexo. Isso significa que não existe uma receita de bolo, tampouco uma fórmula mágica. As redes sociais mais populares, como Facebook e Instagram, vão se saturando cada vez mais. Assim, os usuários procuram outras redes sociais para migrar, estimulando a criação de novas plataformas. Engana-se, portanto, quem acha que ainda pode se acomodar em fazer o velho “2 posts de Facebook por semana”. Ainda que seja possível extrair resultados da maior rede social do mundo, será preciso cada vez mais relevância e originalidade para se destacar. E logo aparecerá outra rede social. E mais outra.

    Cada organização é única e especial e, assim, cabe a cada empresa encontrar a melhor forma de se posicionar nas redes sociais. O que precisa ficar bem claro é que, independentemente do que “o mercado” anda fazendo, o importante é que o negócio esteja totalmente focado em atender as necessidades e os desejos dos seus consumidores.

    O que você achou dessas tendências de marketing nas redes sociais? Embora muitas coisas sejam imprevisíveis, é certo que a mudança será constante e é preciso investir em inovação e criatividade.

    Para manter uma boa relação com os consumidores, é indispensável que você conheça inbound marketing. Por isso, aproveite para entender o futuro do inbound marketing e o que vem de novidade por aí.

    Leia mais+

Alguns Serviços

Apresentações

Apresentações

A Monolito te ajuda a criar apresentações impactantes para o seu negócio, trabalhando com estratégias de comunicação B2B ou B2C que potencializa seus resultados e gera novas oportunidades.

Assessoria de Comunicação

Assessoria de Comunicação

Precisando se comunicar melhor? A Monolito realiza o planejamento, criação e monitoramento de campanhas para qualquer tipo de mídia, trazendo resultados efetivos e atingindo os objetivos da sua marca.

Branding

Branding

A Monolito te ajuda a criar e gerir a sua marca, trazendo valor para a sua empresa e fortalecendo a sua relação com o mercado.

Inbound Marketing

Inbound Marketing

Sua empresa precisa conquistar novos clientes? A Monolito trabalha com estratégias de marketing para captação de leads, desenvolvendo conteúdo personalizado para engajar o público e efetivar a venda.

Marketing Digital

Marketing Digital

Sua empresa ainda não tem um site ou não sabe lidar com as mídias sociais? A Monolito desenvolve sites funcionais e responsivos e cria estratégias de conteúdo para blogs e redes sociais.

Propostas Comerciais

Propostas Comerciais

Se você procura aumentar a conversão de clientes e vender mais, a Monolito te ajuda a criar a desenvolver novas estratégias de venda com propostas comerciais engajadoras.

Portfolio

Projetos em destaque

 

“Ela já estava lá, dentro do bloco de mármore; eu só retirei os excessos"

Era assim que Michelangelo costumava responder os elogios sobre suas esculturas monolíticas. Da mesma forma, a Agência Monolito acredita que não cria qualidades para seus clientes, mas trabalha para evidenciar as virtudes que essas marcas já possuem.

Novidades do blog

Leads: o que são e como eles podem mudar a realidade da sua indústria?

Leads: o que são e como eles podem mudar a realidade da sua indústria?

Toda empresa quer atrair novos clientes. No marketing, o planejamento para atração desses possíveis...

Leia mais+

Pitch: Fórmula tradicional

Pitch: Fórmula tradicional

Você já ouviu falar do termo pitch? Trata-se de uma expressão que caracteriza uma apresentação...

Leia mais+

Sua apresentação não vende?

Sua apresentação não vende?

Um dos maiores desafios das empresas hoje em dia é criar um relacionamento maduro e estável...

Leia mais+