Conteúdo Evergreen: por que investir nesta estratégia?

Estratégias para atrair clientes, não faltam. Por isso, é necessário pensar bem no tipo de produção de seu planejamento. Ou seja, definir conteúdos que rendam mais conversões conforme o perfil de sua empresa. Antes de tudo, é importante compreender que há dois grandes grupos de conteúdos:

  • Aquele procurado em situações específicas, com alto índice de busca no Google durante certo tempo, e depois perde força. Por exemplo, notícias, eventos e artigos. No jornalismo, chamamos essas produções de pautas quentes;
  • O que justamente veremos neste artigo. Estamos falando do evergreen, de conceito atemporal. Nesta categoria de produção são consideradas as listas, dicas de como fazer, guias de instruções, curiosidades, estudos de caso, enfim, tudo aquilo que possa permanecer relevante por tempo indeterminado.

A seguir, mostraremos os tópicos abordados neste artigo:

  •  O que é conteúdo evergreen?
  •  O que não é conteúdo evergreen?
  •  Conheça alguns dos benefícios
  •  Como alcançar os melhores resultados
  •  Dicas de abordagens
  •  Formatos para conteúdo evergreen
  •  Como atualizar seu conteúdo

O que é conteúdo evergreen?

A produção evergreen, ou perene, é aquela que aborda temas atemporais, que não envelhecem. São aqueles assuntos que despertam o interesse das pessoas a qualquer momento – conhecer as melhores receitas de bolo de chocolate para o café da manhã ou qual é o conceito por trás de um tema. Essa característica gera resultados continuamente e, assim, consolida autoridade nos mecanismos de busca.

O que não é conteúdo evergreen?

Ao contrário do dito acima estão os conteúdos de interesse pontual, instantâneo – as tais pautas quentes. Um bom exemplo são as notícias diárias que lemos nos portais: a colisão entre dois carros, que paralisou o trânsito na avenida principal de um bairro, não terá mais relevância no dia seguinte, daqui a um mês ou um ano.

Portanto, ainda que haja alto tráfego logo após sua publicação, produções assim perdem logo a curiosidade das pessoas. Ficam datadas.

Conheça alguns dos benefícios

Essa estratégia favorece conquistas importantes nos buscadores por meio das palavras-chave. Às vezes, demora muito até que um conteúdo chegue às primeiras posições. Entretanto, quando a produção se destaca, os resultados são constantes. Isso gera tráfego orgânico e leads o ano todo. Outro benefício é poder citar esse conteúdo em criações subsequentes, gerando links externos – outra excelente forma de ganhar relevância no Google.

Como alcançar os melhores resultados

Para criar um bom conteúdo atemporal é necessário estudar a fundo as palavras-chave. Isso significa detectar termos que remetam ao que se quer abordar e medir o volume de busca no Google e outros buscadores. Após entender como estruturar sua produção, você deve dar atenção a técnicas de SEO (disposição de links internos, backlinks, meta description, CTAs, etc.). A ideia é se destacar, não?

Já a divulgação exige mais que somente postar. É preciso trabalhar de forma estratégica redes sociais, e-mail marketing e tráfego pago. Outra medida é redistribuir ou promover novamente o que produziu, de tempos em tempos.

Por último, temos que salientar a importância de revisar e atualizar os conteúdos, arrumando links, redes sociais, texto e o que mais precisar ser lapidado. Assim, o caráter atemporal continuará válido para o público.

Tanto pautas quentes quanto conteúdos perenes podem ser importantes para sua estratégia. O primeiro gera leads de maneira mais momentânea e não perdura em relação às informações. O segundo, por sua vez, constrói uma geração de leads constante, por ser relevante para diversas pessoas durante bastante tempo.

Dicas de abordagens

Um bom conteúdo evergreen mantém-se atual por um longo tempo. Então, atente-se a escolher temas de grande interesse e que não sejam datados. Por exemplo, áreas profissionais (“o que é marketing digital?”). Depois, aposte em uma abordagem que conceitue ou que mostre o lado prático da coisa – você certamente já leu títulos como “O que é…”, “Guia definitivo…”, “Como fazer…”, “Por onde começar a fazer…”.

Formatos para conteúdo evergreen

A estratégia perene tem um campo amplo para atuar. Abaixo listamos seis formatos conhecidos e infalíveis – cabe seu time de marketing analisar o que funciona melhor para seu produto/serviço.

Conceitual

Conteúdo nutricional do tipo “o que é…”. São excelentes para topo de funil de vendas. Além de servir como uma isca tentadora ao internauta, ajuda a criar autoridade para seu negócio.

Comparativo

Conteúdos que facilitam a vida do consumidor a tomar uma decisão são bem-vindos. Normalmente, ele já tem uma intenção e só está se certificando antes de tomar uma decisão. Você já viu conteúdos assim. São do tipo “Blog ou site, o que é melhor para minha empresa?”.

Lista

Um ótimo recurso de engajamento costuma perdurar bastante. Exemplo: “5 melhores gatilhos mentais para fundo de funil”.

Curiosidade

Assim como os conteúdos conceituais, os de curiosidade são indicados para o topo de funil. São informações que nutrem o internauta sobre um tema específico. Exemplo: “O que você ainda não sabe sobre seu smartphone”.

Guia

Passo a passo é sempre um formato que engaja. Exemplo: “Como criar uma estratégia de marketing digital completa”.

Pergunta

É um tipo de conteúdo complementar ao conceitual ou de curiosidade. É aquele em que lemos, por exemplo, “Quais são as etapas do funil de vendas?”.

Como atualizar seu conteúdo

Apesar de se tratar de um conteúdo perene, é válido considerar repaginá-lo de vez em quando. As tecnologias avançam, concorrentes aparecem, as relações mudam e o interesse das pessoas, também. Enfim, há momentos em que precisamos nos realinhar ao aqui e agora.

Não se trata de reescrever o que você havia feito. Significa acrescentar informações interessantes ou atualizar dados. É mais ou menos como renovar a relevância de algo criado há algum tempo.

Para que esse processo não anule a importância de seu conteúdo, aqui vão algumas dicas:

Atualize somente o que precisa

Ok, conectar o que produziu com a realidade atual é algo positivo. Todavia, mexer demais no conteúdo pode ser como o tiro que sai pela culatra. Então, modifique somente o que precisa ser modificado. Analise bem. Veja se o que pretende trará benefícios ou apenas será mais do mesmo escrito de outro jeito.

Palavras-chave

Examine a relevância das palavras-chave nos motores de busca, especialmente o Google. Talvez uma ou outra possa ser alterada.

Quando atualizar?

Não há uma receita de bolo para isso, já que cada negócio ou pessoa tem características específicas. Porém, há períodos interessantes para atualizar conteúdos: Carnaval, Páscoa, Black Friday, Natal, réveillon, datas comemorativas. Quando seu material envolve estatísticas, é bom prestar atenção se algum dado mudou.

Registre as modificações

Sempre que modificar algo, tenha uma planilha para registrar o que fez. Esse tipo de controle ajuda a mensurar se as ações estão surtindo o efeito esperado. É dessa maneira que otimizará suas estratégias.

Atenção

Vale observar que nem tudo é atualização. Por exemplo, somente mudar o título ou a data da postagem do conteúdo; não mexer em nada e só acrescentar uma ou outra coisa; corrigir uma passagem; adicionar mais imagens; e alterar a CTA. Neste caso, atualização ocorreria se fizesse tudo isso junto.

Gostou deste conteúdo? Então, continue nos acompanhando para aprender mais sobre marketing digital e colocar sua empresa no topo. Caso queira investir em conteúdos atemporais como os vistos, fale com nosso time. A Monolito certamente tem uma solução certeira para seu negócio. Vamos conversar?

Comentários

Comentários

Rastreou de seu site.

Deixe um comentário

Você deve ser logado para publicar um comentário.